Compartilhar

Adriana Lisboa: “o português está na minha essência, me traz conforto

Adriana Lisboa: “o português está na minha essência, me traz conforto

A escritora brasileira Adriana Lisboa acaba de lançar seu mais recente trabalho, a obra “Todos os Santos” (Alfaguara). A autora de seis romances, uma coletânea de contos e quatro livros infantis, faz parte da Série Autores Brasileiros, uma iniciativa do Brazilian Publishers — projeto de internacionalização de conteúdo editorial brasileiro realizado por meio de uma parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Seu último livro traz a história de um casal ligado por uma tragédia: a morte do irmão Vanessa, melhor amigo André, após um choque na piscina. A trama se passa no Rio de Janeiro e na Nova Zelândia e fala de perdão e da força da natureza.

De acordo com a escritora, o interesse pela temática ambiental é novo. “Eu percebo que vim me simplificando. Nos meus primeiros livros eu estava mais interessada em falar de relações familiares, usava muitas metáforas. Com o tempo, os temas se alargaram e, embora ainda tenha interesse em falar sobre o afeto e como ele se manifesta nas relações humanas, hoje estou mais interessada na questão da natureza e dos animais”, explica.

Adriana mora há mais de uma década nos Estados Unidos, onde além de trabalhar com a produção literária também é professora na Universidade de Chicago.  Os títulos da escritora já chegaram a livrarias de mais de vinte países. Além disso, seus poemas e contos saíram em publicações como Modern Poetry in Translation, Granta, Asymptote e revista Casa de las Américas.

Segundo Adriana, escrever em português a aproxima do Brasil. “É um vínculo que eu mantenho com a minha terra natal. O português está na minha essência, me traz conforto. Mesmo escrevendo muito em inglês não me vejo produzindo na língua”, comenta.

Além de “Todos os Santos” a Alfaguara também lançou as obras “Sinfonia em branco” (2013), vencedora do Prêmio José Saramago; “Hanói” (2013), “Rakushisha” (2014); “Azul Corvo” (2014); “Um beijo de colombina” (2015) e “O Sucesso” (2016).

Faz parte da carreira da escritora também o título de poesia “Deriva, Parte da paisagem e Pequena música”, que recebeu menção honrosa do Prêmio Casa de las Américas e foi considerado um dos livros do ano pela revista Bravo!. Sua produção para o público infanto-juvenil também vale ser lembrada: “Língua de trapos”, foi vencedora do prêmio de autor revelação da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ).

Sobre o Brazilian Publishers

Criado em 2008, o Brazilian Publishers é um projeto setorial de fomento às exportações de conteúdo editorial brasileiro, resultado da parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A iniciativa tem como propósito promover o setor editorial brasileiro no mercado global de maneira orientada e articulada, contribuindo para a profissionalização das editoras.

voltar