Compartilhar

Câmara Brasileira do Livro recebe homenagem no Senado Federal por incentivo cultural

Câmara Brasileira do Livro recebe homenagem no Senado Federal por incentivo cultural

Com uma história marcada por ações de conhecimento e promoção da literatura brasileira, a Câmara Brasileira do Livro (CBL) será homenageada pelo Senado Federal no próximo dia 10. A instituição receberá a comenda de Incentivo à Cultura Luís da Câmara Cascudo, que é destinada à personalidades, instituições ou grupos que oferecem contribuição relevante ao registro e fortalecimento da cultura, história e tradições no Brasil.

“Uma comenda como essa vem coroar um trabalho desenvolvido dentro de uma trajetória de 72 anos da Câmara Brasileira do Livro, que sempre esteve focada na importância da cultura através da leitura e literatura. Certamente será uma emoção muito forte estar no Senado Federal, sendo reconhecido com um prêmio como a Comenda de Incentivo à Cultura Luís da Câmara Cascudo”, afirma Luís Antonio Torelli, Presidente da Câmara Brasileira do Livro.

Além da CBL, quatro personalidades também serão agraciadas: o cordelista Antônio Francisco Teixeira de Melo, que é reconhecido publicamente pela musicalidade de seus poemas; o autor, produtor e roteirista de TV e Cinema Nilson Rodrigues da Fonseca, o ator Pedro Baião e Nelson da Rebeca, que foi cortador de cana até os 54 anos. Quando viu um violino pela primeira vez na televisão, Nilson apaixonou-se pelo instrumento e decidiu fazer o seu próprio. Hoje, ele tem mais de seis mil instrumentos no fundo de sua casa.

A láurea é inédita e foi instituída a partir de um projeto da governadora eleita pelo Rio Grande do Norte, a senadora Fátima Bezerra. A comenda homenageia o historiador, antropólogo, advogado e jornalista Luís da Câmara Cascudo (1898-1986). Historiador, antropólogo, advogado e jornalista, Câmara Cascudo viveu em Natal (RN) e dedicou-se ao estudo da cultura brasileira. Pesquisador das manifestações culturais brasileiras, dedicou-se ao estudo da cultura brasileira e obras como “O Dicionário do Folclore Brasileiro” (1952) .Em nota divulgada para a imprensa, a senadora afirma que “Câmara Cascudo foi o principal responsável por tornar conhecidas figuras fantásticas do folclore brasileiro. Ele estudava o homem a partir de sua história, das diferentes origens, dos romances, das poesias e principalmente do folclore”, disse Fátima.

A comenda também homenageia a memória do folclorista Deífilo Gurgel, que dedicou grande parte da sua vida a preservar e promover as tradições culturais do Rio Grande do Norte;  do radialista e pesquisador da cultura gaúcha João Carlos D’ Ávila Paixão Côrtes; e o capoeirista assassinado após uma discussão política durante o primeiro turno das eleições de 2018, Romualdo Rosário da Costa, o Moa do Katendê.

voltar