Autora de “Quando Me Descobri Negra”, Bianca Santana participa da Feira do Livro de Frankfurt

24/09/2018

A próxima edição da Feira do Livro de Frankfurt acontece de 10 a 14 de outubro e conta com a presença de três autores brasileiros. Entre eles, a jornalista e escritora Bianca Santana, que participa do evento por meio do apoio do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, do Ministério da Cultura e do Brazilian Publishers, projeto de internacionalização de conteúdo editorial brasileiro realizado por meio de uma parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

“Quando Me Descobri Negra” (2015) é a publicação de maior destaque na carreira de Bianca e traz crônicas e relatos sobre racismo, gênero e raça.  “A repercussão tem sido muito boa. Os leitores me dizem que o livro é importante tanto para as pessoas que não são negras compreenderam o que é o racismo e as experiências que os negros vivenciam, quanto para as pessoas negras que se identificam com as narrativas presentes no livro”, explicou Bianca. A obra foi traduzida para o inglês e vai ser publicada na Nigéria.

Durante o evento, a escritora vai participar de um debate com o tema “Escritoras da América Latina”, que ocorre dia 14 de outubro, às 15h (Horário de Frankfurt), e pretende contribuir para a expansão do conteúdo editorial brasileiro. “Como autora convidada, quero fazer o papel de ajudar a levar a produção brasileira para outros países: não só o que eu escrevo, mas também outros autores, especialmente livros produzidos por mulheres negras que muitas vezes não circulam no mercado literário internacional”, disse. A mesa conta com apresentação de Silke Kleemann e presença das autoras Mercedes Rosende (Uruguai) e Gabriela Cabezón (Argentina).

Bianca também escreveu “Recursos Educacionais Abertos: práticas colaborativas e políticas públicas” (2012) e “Aprender Para Contar: livro de alfabetização para jovens e adultos”. Atualmente, a autora está trabalhando na produção da biografia de Sueli Carneiro, filósofa, escritora e ativista antirracismo do movimento social negro brasileiro. Em 1988, Sueli fundou a organização Geledés – Instituto da Mulher Negra, uma das maiores ONGs de feminismo negro do Brasil.

Além de Bianca, os autores Geovani Martins e João Paulo Cuenca fazem parte da delegação brasileira de Frankfurt. Geovani vai participar da mesa “A Nova Literatura da América Latina” em 13 de outubro, às 14h (Horário de Frankfurt), e João Paulo marca presença em dois debates: ”Literatura Política”, que acontece em 11 de outubro, às 14h  (Horário de Frankfurt) e “Língua Portuguesa”, que ocorre em 13 de outubro, às 10h30 (Horário de Frankfurt). Saiba mais sobre João Paulo aqui.

Feira de Frankfurt 2018 conta com a participação de editoras brasileiras

O Brazilian Publishers organiza a participação de 23 editoras nacionais durante a 70ª edição da Feira do Livro de Frankfurt. Em 2017, a delegação brasileira comercializou US$ 680 mil durante o evento e em expectativas de negócios fechados para os 12 meses seguintes. Esse valor foi 9,67% maior comparado ao evento de 2016. Este ano, as expectativas de negócio são de US$ 650 mil em venda de direitos autorais e de livros físicos. Saiba mais sobre a participação brasileira aqui.

Sobre o Brazilian Publishers

Criado em 2008, o Brazilian Publishers é um projeto setorial de fomento às exportações de conteúdo editorial brasileiro, resultado da parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A iniciativa tem como propósito promover o setor editorial brasileiro no mercado global de maneira orientada e articulada, contribuindo para a profissionalização das editoras.