“Cancún”, de Miguel Del Castillo, terá adaptação para o cinema

20/03/2020

O Brasil passa por um momento de efervescência da adaptação de obras literárias para a televisão e para o cinema. “Cancún”(2019), de Miguel Del Castillo, publicada pela Companhia das Letras, é um dos livros que, recentemente, tiveram seus direitos de adaptação vendidos. Além do título de Miguel, obras de nomes como Ana Paula Maia, Emílio Fraia e Itamar Vieira Júnior também chegarão em breve às telas. 

Quem comprou os direitos de “Cancún” (2019) foi a brasileira Carolina Jabor. A diretora escalou Lucas Paraizo para transformar a prosa do primeiro romance de Miguel em roteiro.

A história relata dois momentos da vida de Joel, o protagonista. No primeiro deles, aos 12 anos, o personagem é um pré-adolescente carioca que vive na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. O garoto de classe média alta entra para o grupo de jovens evangélicos e é assim que inicia-se um conflito com o estilo de vida de seu pai, personagem que ganha a vida através de trabalhos nebulosos que executa em Cancún. No segundo momento, afastado da religião e prestes a ter um filho, Joel parte para o balneário mexicano em busca de respostas de como o seu já falecido pai, foi capaz de proporcionar-lhe a vida boa na juventude que moldou o seu caráter.

Miguel é escritor, tradutor e editor carioca, radicado em São Paulo. Compõe o seleto grupo, eleito em 2012 pela revista britânica Granta como “melhores jovens escritores brasileiros”. 

Recebeu o prêmio Paulo Britto de Poesia e Prosa, em 2010, com o conto “Carta para Ana”, publicado na Antologia de prosa Plástico Bolha. Escreveu, em 2015, a obra “Restinga”, sob o selo da Companhia das Letras, e que teve seus direitos para o cinema comprados pela RT Features. 

Além do talento como escritor, também foi editor da Cosac Naify, do site ZUM e da revista Noz. Atualmente, é curador da biblioteca de fotografia do Instituto Moreira Salles.