Confira o início de cinco parágrafos que marcaram a literatura brasileira

04/08/2023

Sem exagero, é comum afirmar que o primeiro parágrafo de um livro é também o mais importante. Afinal, um bom início deve despertar a curiosidade e o interesse do leitor, incentivando-o a continuar lendo e descobrindo mais sobre a história ou o tema abordado. Independentemente do estilo ou gênero literário, alguns primeiros parágrafos podem se tornar tão icônicos que são lembrados por gerações. 

A literatura brasileira possui uma rica variedade de inícios que revelam a genialidade e a habilidade dos escritores em cativar os leitores desde as primeiras palavras, seja através de um humor perspicaz ou uma narrativa envolvente. Eles nos convidam a mergulhar nas histórias, explorando a riqueza da nossa literatura e da diversidade de vozes e perspectivas que moldam a identidade cultural do Brasil.

Leia, a seguir, as cinco frases que dão início a alguns dos livros mais marcantes da literatura brasileira, que com certeza farão com que você queira ler o restante do livro.

“Ao verme que primeiro roeu as frias carnes do meu cadáver dedico como saudosa lembrança estas memórias póstumas.”

“Memórias Póstumas de Brás Cubas” é uma obra-prima da literatura brasileira escrita por Machado de Assis e publicada em 1881. O livro é uma narrativa inovadora, pois é apresentado pelo próprio protagonista, Brás Cubas, já falecido, que decide escrever suas memórias após a morte. A história é contada em forma de retrospectiva, na qual Brás Cubas relata sua vida e experiências, revelando sua personalidade egocêntrica, irônica e crítica da sociedade do século XIX.

“Tudo no mundo começou com um sim. Uma molécula disse sim a outra molécula e nasceu a vida.”

“A Hora da Estrela” é um romance escrito pela renomada autora brasileira Clarice Lispector, publicado em 1977. A obra conta a história de Macabéa, uma mulher simples, sem autoestima e desprovida de habilidades sociais, que vive na pobreza no Rio de Janeiro. O enredo gira em torno das experiências e pensamentos de Macabéa, enquanto ela tenta sobreviver e encontrar sentido em sua vida precária.

“O pelotão estava em forma, a voz de comando foi enérgica e a fuzilaria produziu um único estrondo.”

“Benjamin” é um romance escrito pelo músico e compositor brasileiro Chico Buarque, publicado em 1995. A história é ambientada no Rio de Janeiro e é narrada por um escritor chamado Benjamim Zambraia, um homem introspectivo e solitário que trabalha como revisor de um jornal e vive em uma pequena pensão. Ele relata sua vida amorosa marcada por uma paixão obsessiva por uma mulher misteriosa chamada Ariela.

“Sob a lua, num velho trapiche abandonado, as crianças dormem.”

“Capitães da Areia” é um romance clássico escrito pelo renomado autor brasileiro Jorge Amado, publicado em 1937. A história se passa na cidade de Salvador, Bahia, e gira em torno de um grupo de meninos de rua conhecidos como os “Capitães da Areia”, um bando de órfãos e crianças abandonadas que vivem à margem da sociedade, sobrevivendo através de pequenos furtos e artimanhas.

“Estou raptando uma criança. Tento afastar esse pensamento, mas ele persiste enquanto descemos pelo elevador, cumprimentamos Chico, saímos pelo portão.”

“Suíte Tóquio” é um romance escrito por Giovana Madalosso e publicado em 2020 que mergulha em uma trama complexa e envolvente, retratando a vida de três mulheres – Maju, Cora e Fernanda – cujos caminhos se cruzam de maneira inesperada. A história começa com Maju, a babá de Cora, que decide fugir com a menina sem deixar rastros. Esse ato inesperado abala a vida de Fernanda, mãe de Cora, que está imersa em uma crise pessoal, lidando com o fracasso de seu casamento e apaixonada por outra mulher.