Editora Pallas traduz a vanguarda da literatura afro-brasileira para línguas originárias moçambicanas com ajuda do Brazilian Publishers

06/10/2021

A editora Pallas, conhecida por ser parte da vanguarda da literatura afro-brasileira, tem feito sucesso internacional. Graças ao apoio da Bolsa de Tradução do Brazilian Publishers – uma parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) – a editora conseguiu levar suas publicações para o mercado moçambicano. 

As obras da editora foram traduzidas para os dialetos Sena, Macua e Changana. Entre livros que desembarcaram nas prateleiras do país pela Editora Trinta Zero Nove estão “Caderno de rimas do João”, escrito por Lázaro Ramos e ilustrado por Maurício Negro, “Caderno sem rimas da Maria”, também de autoria de Lázaro, e “O Cabelo de Cora”, de Ana Zarco Camara e ilustrado por Taline Schubach.

Segundo Mariana Warth, dona da Pallas, é natural que a editora seja interessante para países como Moçambique devido a seu foco em trazer o que há de melhor na literatura afro-brasileira. “Depois de alguns anos, creio que o foco na realidade brasileira não seja uma barreira mas uma qualidade é um reconhecimento do trabalho que fazemos”, explica ela. Isso é resultado da pluralidade de vozes da literatura nacional, que dialoga com nossa identidade enquanto país da América Latina e como país que deve muito à diáspora africana, explica.

Mas as conquistas da Pallas foram além: a editora também vendeu direitos autorais para a Bélleville Éditions, da França, e a Elefanta Editorial, do México. Com isso, os leitores franceses agora podem adquirir o livro “Nada digo de ti, que em ti não veja”, de Eliana Alves Cruz, e os mexicanos, com “Becos da Memória”, de Conceição Evaristo, que também foi traduzido e exportado para a Eslovênia.

Mariana lembra também a importância do Brazilian Publishers: “O programa sempre foi muito importante para nosso processo de internacionalização”, diz ela. “Desde compra e venda até impressão no exterior. Gerou profissionalização de toda a equipe da editora, do comercial, ao financeiro e editorial. Então, acho que essa experiência é fundamental para todas as empresas. Qualquer empresa, de qualquer tamanho, pode ter um caminho no exterior trilhado pela qualidade de suas publicações”.

Sobre o Brazilian Publishers

Criado em 2008, o Brazilian Publishers é um projeto setorial de fomento às exportações de conteúdo editorial brasileiro, resultado da parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A iniciativa tem como propósito promover o setor editorial brasileiro no mercado global de maneira orientada e articulada, contribuindo para a profissionalização das editoras.