Istambul Fellowship encerra edição de 2021 com participações de editores brasileiros

Fellowship Istanbul
22/03/2021

O Istambul Fellowship, programa que leva editores do mundo inteiro para encontros com agentes internacionais na Turquia, terminou sua sexta edição no dia 11 de março. Neste ano, o evento aconteceu de forma híbrida por conta da pandemia e contou com 345 editores de 60 países, incluindo o Brasil.

Entre eles estavam Fernanda Dantas (CBL), Diego de Oxóssi (Arole Cultural) e Paula Cajaty (Jaguatirica), de editoras participantes do Brazilian Publishers — projeto de internacionalização de conteúdo editorial brasileiro realizado por meio de uma parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Ao BP, Diego de Oxóssi conta que o evento foi sensacional. “Além dos resultados comerciais, a estrutura do evento e a organização da plataforma online de agendamentos e reuniões também foram fantásticas”, comenta o editor. Diego ainda elogia a apresentação de outros participantes, e revela que o saldo para a Arole Cultural foi positivo, com potenciais parceiros internacionais à vista. “O mercado internacional está bastante aquecido e disposto a retomar o ritmo dos anos anteriores, apesar da crise financeira e sanitária”, completa Oxóssi.

Paula Cajaty também destaca a experiência da plataforma virtual e o “processo inovador” apresentado pelo evento. “Fizemos inúmeras reuniões, contatos com editoras importantes, agências de todo o mundo. E diversas editoras e agências estrangeiras estavam disponíveis para a compra de direitos de livros brasileiros”, conta a editora da Jaguatirica. Ela completa: “Também recebemos os detalhes dos editais de apoio da Finlândia, da Turquia e do Irã, como opções para a bolsa de traduções para direitos comprados de livros de autores daqueles países.”

Fernanda Dantas, Gerente de Relações Internacionais da CBL e Gerente do Projeto Brazilian Publishers, destaca também a importância da troca de experiências não apenas entre editores, mas entre entidades de diferentes países, fundamental para entender a cena literária de cada lugar. “Estar em contato com entidades do livro de outros países amplia não apenas o conhecimento sobre outros mercados, mas abre a possibilidade de trocas e parcerias estratégicas. Além disso, ao representar as empresas apoiadas é possível entender as atuais demandas internacionais. Saio desse evento mais otimista com os próximos meses, mesmo diante deste cenário tão complicado”, finaliza.

Sobre o Brazilian Publishers

Criado em 2008, o Brazilian Publishers é um projeto setorial de fomento às exportações de conteúdo editorial brasileiro, resultado da parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A iniciativa tem como propósito promover o setor editorial brasileiro no mercado global de maneira orientada e articulada, contribuindo para a profissionalização das editoras.