Livro da editora do Brasil está na Campanha Leia para uma Criança 2020 

06/10/2020

O Itaú Social revelou recentemente os dois títulos físicos e os dois digitais escolhidos para a campanha Leia para uma Criança de 2020, iniciativa que incentiva adultos a lerem para crianças.  Entre as obras indicadas está Com que roupa irei para a festa do rei, da Editora do Brasil, de Tino Freitas e Ionit Zilberman.

O livro, que já foi publicado na Argentina, foi o primeiro título a receber a bolsa tradução oferecida pelo Brazilian Publishers — projeto de internacionalização de conteúdo editorial brasileiro realizado por meio de uma parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). 

Os demais títulos selecionados são: A visita (Claro Enigma), de Antje Damm, que também será distribuído no formato físico, Da janela de Minas, de Nicole Rodrigues Florentino e O apanhador da acalantos, de Beatriz Pereira Rodrigues. Cada livro aborda um tema relevante no momento atual: saúde, meio ambiente, empatia e educação. As obras começaram a ser distribuídas gratuitamente em primeiro de outubro.

Os pedidos dos livros podem ser feitos pelo site da campanha, e é aberto ao público em geral. A expectativa do projeto é que sejam distribuídos 3,6 milhões de exemplares.  

Sobre a campanha Leia para uma Criança

Criado há 10 anos pelo Itaú Social, o projeto busca incentivar a leitura na primeira infância, enviando títulos gratuitamente. Neste período, já doou mais de 57 milhões de livros, com 26 títulos físicos e 16 em formato digital.

Sobre o Brazilian Publishers

Criado em 2008, o Brazilian Publishers é um projeto setorial de fomento às exportações de conteúdo editorial brasileiro, resultado da parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A iniciativa tem como propósito promover o setor editorial brasileiro no mercado global de maneira orientada e articulada, contribuindo para a profissionalização das editoras.