No Brasil, 27 milhões de pessoas das classes C, D e E consomem livros

09/09/2020

Um recorte da pesquisa Retratos da Leitura aponta que 27 milhões de pessoas das classes C, D e E consomem livros no Brasil. O estudo está em sua 5ª edição é realizado no país desde 2007 pelo Instituto Pró-Livro (IPL), e entidades como Itaú Cultural e Ibope Inteligência.

Os organizadores também já revelaram que 22% dos leitores brasileiros avaliam o item preço como fator decisivo para a compra de livros. Esse índice é maior entre os indivíduos com renda entre um e dois salários mínimos, se comparado às pessoas com renda entre cinco e dez salários mínimos.

A pesquisa também destaca que o indicador de leitura no Brasil se mantém estável desde 2007, e somente metade da população brasileira é leitora. Os dados completos do estudo devem ser divulgados em meados de setembro.

Sobre a pesquisa

A Retratos da Leitura no Brasil foi lançada em 2001 e é o principal estudo que traça o comportamento leitores brasileiros. O objetivo da análise é servir de base para políticas públicas e demais ações que melhoram a qualidade e os indicadores de leitura e de acesso ao livro no país. 

Esse trabalho é realizado pelo Instituto Pró-Livro (IPL), Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), sem fins lucrativos, criada e mantida pelas entidades do livro: Abrelivros, Câmara Brasileira do Livro (CBL) e Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL).

Clique aqui para acessar os dados da 4ª edição da pesquisa.