Poeta brasileira Marília Garcia vence Prêmio Oceanos 2018

17/12/2018

A poeta brasileira Marília Garcia venceu o Oceanos – Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa pela publicação de “Câmera Lenta”, uma obra que foi escrita por nove anos e traz uma reflexão do processo poético por meio da poesia.  O livro foi publicado pela Companhia das Letras, editora que faz parte do Brazilian Publishers, projeto de internacionalização de conteúdo editorial brasileiro realizado por meio de uma parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

“Sinto-me muito honrada por ter recebido este prêmio. “Câmera lenta” passou por muitos formatos até chegar à versão final. Ele começou a ser escrito após a publicação do meu primeiro livro “20 poemas para o seu walkman” e, enquanto escrevia, publiquei outros títulos. Assim, “Câmera lenta foi incorporando os diferentes tons das minhas obras e contém um pouco de cada uma delas”, conta Marília.

Além de investigar o processo poético, Marília se inspirou no processo de câmera lenta do cinema. “O recurso da câmera lenta desnaturaliza o cinema e faz com que a gente pare e perceba que aquilo que estamos vendo é uma mídia que pode desacelerar, avançar e mudar a experiência produzindo outra percepção do mundo. Ao escrever este livro tentei criar recursos que servissem para desautomatizar, tanto a leitura quanto a escrita”, explica a autora.

Diversas produções da autora foram publicadas internacionalmente. “Um teste de resistores” (2014) foi publicado em Portugal pela editora Mariposa Azual. A obra apresenta um ensaio filosófico e autobiográfico em forma de poesia.

Na Argentina, a autora publicou “20 poemas para o seu walkman” (2007) pela editora Vox. O livro traz um misto de relato de viagem, ensaio filosófico e crônica literária de uma juventude, e foi finalistas do prêmio Portugal Telecom 2008. A antologia “Error geográfico” (2015) foi publicada na Espanha e “The territory is not the map” (2017) nos Estados Unidos.

Durante a sua carreira, Marília publicou outros livros, como “Engano Ggeográfico” (2012), “Paris não tem centro” (2015), e ”Parque das ruínas” (2018).

Além de Marília, outros três autores venceram o Prêmio Oceanos. Em segundo lugar, o português Bruno Vieira Amaral recebeu o prêmio pelo romance “Hoje Estarás Comigo no Paraíso”. Luís Quintais ficou em terceiro lugar pela publicação de “A Noite Imóvel” e o moçambicano Luís Carlos Patraquim foi premiado pelo título “O Deus Restante”.

Sobre o Brazilian Publishers

Criado em 2008, o Brazilian Publishers é um projeto setorial de fomento às exportações de conteúdo editorial brasileiro, resultado da parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A iniciativa tem como propósito promover o setor editorial brasileiro no mercado global de maneira orientada e articulada, contribuindo para a profissionalização das editoras.