Seis autores brasileiros condecorados pelos principais prêmios de 2021 para não perder de vista

11/01/2022

Em 2021, a literatura brasileira ganhou notoriedade mundo afora com novas traduções e lançamentos internacionais de títulos já conhecidos pelos leitores tupiniquins. No Brasil, mesmo com a pandemia, os principais prêmios literários do país continuaram suas solenidades, e trouxeram reconhecimento para alguns nomes que ainda não haviam despontado na grande mídia.

O Brazilian Publishers — Programa de Internacionalização do mercado editorial brasileiro, realizado por meio de uma parceria entre a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) e a Câmara Brasileira do Livro (CBL) — selecionou alguns autores condecorados pelo Prêmio Jabuti,  Prêmio Oceanos, Prêmio São Paulo de Literatura, e Prêmio Machado de Assis, da Biblioteca Nacional.

Confira abaixo a lista dos seis escritores brasileiros, e suas respectivas obras premiadas, para não perder de vista em 2022:

João Luiz Guimarães e Nelson Cruz

João Luiz Guimarães e Nelson Cruz foram os grandes condecorados pelo maior prêmio da literatura brasileira, o Jabuti. O livro da dupla, “Sagatrissuinorana”, foi o destaque principal da 63ª edição da premiação, vencendo as categorias Livro do Ano e Literatura Infantil.

Lançado pela ÔZé Editora, o título é uma releitura da fábula dos “Três Porquinhos” e uma homenagem ao escritor Guimarães Rosa e às vítimas dos rompimentos das barragens nas cidades mineiras de Brumadinho e Mariana. A obra usa do estilo da escrita de Rosa para recontar a história, criando um paralelo com as tragédias ocorridas em Minas Gerais.

João é um escritor, jornalista e roteirista carioca. Vencedor do Prêmio Jabuti e do Prêmio Off FLIP, suas obras literárias são focadas no público infantojuvenil. Nelson é um artista plástico, chargista, escritor e ilustrador, nascido em Belo Horizonte. Começou a trabalhar no mercado editorial em 1988, tendo feito ilustrações para dezenas de livros de várias editoras.

Jeferson Tenório

Já o carioca Jeferson Tenório levou para casa a estatueta da categoria Romance Literário.  “O avesso da pele”, publicado pela Companhia das Letras, gira em torno de Pedro, que narra  a história do pai, Henrique, morto em uma abordagem policial. A obra trata de temas profundos, como negritude, violência e relações familiares.

Este é o terceiro livro de Jeferson publicado. O autor estreou na literatura em 2013, com o título “O beijo na parede”, sobre as carências material e afetivas daqueles que residem na metrópole contemporânea, e, em 2018, lançou “Estrela sem Deus”. A obra também aborda questões raciais, e fala sobre o amadurecimento precoce de jovens negros.

Edimilson de Almeida Pereira

Em 2021, o escritor e professor brasileiro Edimilson de Almeida Pereira foi condecorado por duas grandes premiações: o Prêmio Oceanos e a 14ª edição do Prêmio São Paulo de Literatura.

O romance “O ausente”, publicado no Brasil pela editora Relicário, venceu o segundo lugar do Oceanos. O livro é o primeiro volume da trilogia “Náusea”, que inclui também “Um corpo à deriva”, publicado pela Edições Macondo, e que foi semifinalista do Oceanos, e “Front”, da Editora Nós. O último foi o vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura 2021. A obra é ambientada em um clima rural e intimista, além de abordar o místico. Construída em um fluxo em que nada é determinado, nem mesmo o nome da personagem, a narrativa rompe barreiras entre prosa e poesia e inova na linguagem e nas infinitas possibilidades de usá-la.

Pereira é um poeta mineiro, autor de dezenas de livros e artigos e Professor Titular de Literatura Brasileira da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora. Também é um grande pesquisador da cultura e da religiosidade afro-brasileiras. Seu livro “Front” é narrado em prosa poética e conta a história de um homem criado nos escombros de uma cidade repleta de violência e hostilidade.

Morgana Kretzmann

Morgana Kretzmann também foi um destaque do Prêmio São Paulo de Literatura, vencendo na categoria “Melhor Romance de Estreia do Ano de 2020”, com o livro “Ao pó”, da Editora Patuá. Nascida na cidade de Tenente Portela, no Rio Grande do Sul, Kretzmann é atriz, roteirista e produtora cultural, com prêmios nacionais e regionais no currículo.

A gaúcha, que atualmente reside em São Paulo, também é formada em Gestão Ambiental pelo Instituto Federal de Santa Catarina. “Ao pó” é seu primeiro romance e conta a história de uma mulher, vítima de abuso na infância, que busca enfrentar seus demônios no teatro.

Marcelo Labes

O catarinense Marcelo Labes foi o primeiro colocado na categoria Romance do Prêmio Machado de Assis, da Biblioteca Nacional. O poeta, prosador e escritor, nascido em Blumenau, ganhou a condecoração pelo livro “Três porcos”, publicado pela editora Caiaponte, que também venceu o Prêmio São Paulo de Literatura 2020.

Em “Três Porcos”, Marcelo narra a história de Rafael, um homem que lida com o fracasso de seu casamento e entra em uma espiral de memórias violentas, que provocam o início de uma intensa jornada de reconstrução de sua trajetória enquanto homem. A obra é escrita em uma prosa ruidosa e violenta, mostrando as dificuldades e o peso do conceito da masculinidade em suas mais variadas e cruéis formas.

Marcelo é autor do livro de poemas “Enclave”, publicado pela Patuá em 2018 e finalista do Prêmio Jabuti 2019, e do romance “Paraízo-Paraguay”, publicado pela editora Caiaponte em 2019, obra que alcançou a segunda colocação no Prêmio Machado de Assis da Fundação Biblioteca Nacional.

Sobre o Brazilian Publishers:

Criado em 2008, o Brazilian Publishers é um projeto setorial de fomento às exportações de conteúdo editorial brasileiro, resultado da parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil). A iniciativa tem como propósito promover o setor editorial brasileiro no mercado global de maneira orientada e articulada, contribuindo para a profissionalização das editoras.