Sérgio Sant’Anna morre de COVID-19 e deixa legado na literatura brasileira

Sérgio Sant’Anna
15/05/2020

No domingo (10), o Brasil perdeu mais um grande nome da literatura. Depois de lamentar a morte de gigantes como Rubem Braga e Luiz Alfredo Garcia-Roza, o país vela Sérgio Sant’Anna, vítima da COVID-19. 

O escritor foi um dos principais contistas contemporâneos da língua portuguesa e é o personagem desta semana da Série Autores Brasileiros, uma iniciativa do Brazilian Publishers — projeto de internacionalização de conteúdo editorial brasileiro realizado por meio de uma parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Durante seus 78 anos de vida, Sérgio Sant’Anna ganhou três estatuetas do prêmio Jabuti e três condecorações da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte). O autor nascido no Rio de Janeiro teve, ainda, suas obras traduzidas para o alemão, francês, italiano e tcheco. 

Sérgio completou 50 anos de carreira em outubro de 2019 e estava em plena produção criativa quando foi infectado pelo novo coronavírus. O último lançamento, “Anjo Noturno”, publicado pela editora Companhia das Letras, foi em 2017.

 No dia da morte de Sérgio, o escritor brasileiro Daniel Galera publicou na rede social Twitter uma homenagem ao colega: “Profundo lamento pela morte do Sérgio Sant’Anna, mais uma vítima da COVID-19. Um mestre do conto que vinha enfileirando livros brilhantes e sensíveis. Li ‘Anjo proibido’ há poucas semanas e ainda me sinto em viva companhia desse grande autor”.

Carreira 

Sérgio deu voz à geração de brasileiros composta por jovens que viveram em tempos de ditadura militar e viram o país se redemocratizar no começo da vida adulta. Sua escrita sempre apontou as fragilidades da nação de maneira criativa no ponto de vista de estilo: ele usou com frequência a técnica de colagem, trabalhada também pelo americano William Burroughs, que consiste em usar fragmentos de ideias e referências na construção da narrativa. 

A estreia do escritor se deu em 1969, com a publicação do livro de contos “O Sobrevivente“. O título é escrito um ano após a participação de Sérgio nas manifestações de maio de 68, na França, e o colocou no mapa. 

O autor publicou 20 títulos durante sua carreira. Entre suas obras marcantes estão “O concerto de João Gilberto no Rio de Janeiro” (1986) e “Um crime delicado” (1997), adaptada para o cinema em 2005, pelo diretor Beto Brant — ambas ganhadoras do Prêmio Jabuti.

Sobre a Série: Autores Brasileiros

Em busca de incentivar o conhecimento sobre a literatura contemporânea brasileira, o Brazilian Publishers, projeto de internacionalização de conteúdo editorial brasileiro realizado por meio de uma parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), criou a série “Autores Brasileiros”, que traz informações sobre escritores nacionais da atualidade.

Sobre o Brazilian Publishers

Criado em 2008, o Brazilian Publishers é um projeto setorial de fomento às exportações de conteúdo editorial brasileiro, resultado da parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A iniciativa tem como propósito promover o setor editorial brasileiro no mercado global de maneira orientada e articulada, contribuindo para a profissionalização das editoras.