Série Autores Brasileiros: Ana Maria Gonçalves

20/07/2018

No prólogo do livro “Um Defeito de Cor” (2006), vencedor do Prêmio Casa de las Américas em 2007, Ana Maria Gonçalves nos apresenta o conceito de serendipidade. De acordo com a autora, a palavra descreve “aquela situação em que encontramos alguma coisa enquanto estávamos procurando outra, mas para a qual já tínhamos que estar preparados ou com um pouco de conhecimento sobre o que foi descoberto”. Ao contar a história de uma ex-escrava africana, de 80 anos, que viaja da África para o Brasil em busca do filho escravo desaparecido, “Um Defeito de Cor” é o resultado de uma serendipidade.

Ana Maria Gonçalves é a segunda autora publicada na Série Autores Brasileiros, uma iniciativa do Brazilian Publishers, projeto de internacionalização de conteúdo editorial brasileiro realizado por meio de uma parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

A inspiração para a obra nasceu dentro de uma livraria enquanto a autora procurava um guia de viagem com informações sobre Cuba e encontrou outro título que chamou sua atenção: “Bahia de Todos os Santos – Guia de Rua e Mistérios”, do escritor brasileiro Jorge Amado. O livro traz uma referência à revolta dos escravos muçulmanos da nação malê na cidade de Salvador, na Bahia. O movimento tinha como objetivo a libertação dos escravos, o fim do catolicismo – religião imposta aos escravos que chegavam ao Brasil – entre outros.

“Foi uma grande descoberta para mim que estava procurando essa história, a minha história e a história dos meus antepassados que foram escravizados, vieram para o Brasil e são pessoas que possuem uma trajetória similar em toda a diáspora negra pelo Atlântico. Eu pesquisei muito em jornais e revistas de época, testamentos, ações políticas e policiais e optei por dar voz para uma mulher negra escravizada exatamente porque eu acho que talvez tenha sido a voz que menos teve influência na formação da história escravocrata no Brasil”, afirmou Ana Maria Gonçalves.

Durante os cinco anos de pesquisa para o livro, Ana Maria descobriu a história da figura lendária, Luísa Mahin, mãe do poeta e jornalista Luís Gama, e decidiu escrever uma narrativa com a trajetória de Luísa e de diversas outras mulheres negras escravizadas na época. “Não há nenhum documento histórico que prove a existência de Luísa, então eu parti de uma carta e de dois poemas do Luís Gama falando sobre a mãe dele: uma mulher muçulmana, negra e escravizada que foi líder da Rebelião Malê. Eu achei muito interessante a figura de uma mulher líder de uma rebelião muçulmana, na Bahia, em 1835”, disse Ana.

De acordo com a autora, Luís Gama era filho de uma mulher escrava e um português. Aos sete anos, a mãe dele começou a ser perseguida por participar da rebelião dos escravos e desapareceu deixando-o com o pai. Aos 10 anos, Luís foi vendido como escravo pelo pai para pagar a dívida de um jogo.

O livro foi utilizado em diversos cursos de universidades nacionais e internacionais como “Literatura Brasileira – Escravidão e Diáspora Negra” da Universidade de Tulane (Nova Orleans), “Literatura Brasileira Contemporânea – Raça e Rebelião no romance histórico Um Defeito de Cor” na Universidade de Stanford (Palo Alto), “Curso sobre a formação do Brasil” da Universidade do Novo México (Albuquerque), “Escravidão: um defeito de entendimento, da Universidade Federal de Juiz de Fora” (Minas Gerais), , “Um Defeito de Cor e a Cartografia afetiva da cidade de Salvador” da Casa de Castro Alves (Salvador) e “Curso sobre a formação do Brasil” da Universidade do Novo México (Albuquerque).

Ana Maria também escreveu “Ao lado e à margem do que sentes por mim” (2002), que foi produzido enquanto a autora pesquisava sobre “Um Defeito de Cor”, “Quem foi Josenildo?”, com publicação prevista para 2019 e diversas antologias publicadas em Portugal, Itália e Estados Unidos.

Sobre a Série: Autores Brasileiros

Em busca de incentivar o conhecimento sobre a literatura contemporânea brasileira, o Brazilian Publishers, projeto de internacionalização de conteúdo editorial brasileiro realizado por meio de uma parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), criou a série “Autores Brasileiros”, que traz informações sobre escritores nacionais da atualidade.

Sobre o Brazilian Publishers

Criado em 2008, o Brazilian Publishers é um projeto setorial de fomento às exportações de conteúdo editorial brasileiro, resultado da parceria entre a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A iniciativa tem como propósito promover o setor editorial brasileiro no mercado global de maneira orientada e articulada, contribuindo para a profissionalização das editoras.