“Torto Arado”, de Itamar Vieira Junior, desembarca no México pela Textofilia Ediciones

20/12/2021

Sucesso de vendas no Brasil e agora no mundo, a obra “Torto Arado”, de autoria de Itamar Vieira Junior, acaba de chegar às prateleiras de livrarias Mexicanas. O lançamento do livro, publicado pela Textofilia Ediciones, aconteceu no dia 29 de novembro, durante a Feira Internacional do Livro de Guadalajara 2021.

Torto Arado foi um fenômeno de vendas no Brasil, com mais de 165 mil cópias físicas e digitais vendidas desde o seu lançamento em 2019. Agora, os editores esperam que o livro repita, no exterior, o êxito nacional. 

“Acredito que o sucesso de ‘Torto Arado’ baseia-se no fato de que, além de sua profunda beleza literária e da bela escrita de Itamar, é uma história que, por um lado, comove, e, por outro, impressiona o leitor por mostrar as entranhas do Brasil”, cita Ricardo Sánchez Riancho, fundador e CEO da Textofilia, sobre o sucesso da obra no exterior.

A trama da obra se baseia na realidade do sertão baiano e conta a trajetória das personagens Bibiana e Belonísia, duas irmãs que encontram uma faca antiga e misteriosa, guardada em uma mala debaixo da cama da avó. Um acidente acontece e a vida de ambas passa a ser interligada para sempre. Com uma prosa melodiosa, o romance conta uma história de vida e morte, de combate e redenção.

“Nossa expectativa com sua publicação é atingir muitos leitores hispânicos e sensibilizá-los para o fato de que existe um grande talento literário contemporâneo no Brasil”, acrescenta o CEO, sobre a expectativa em relação à publicação mexicana de Torto Arado.

Além de “Torto Arado”, o catálogo da Textofilia ainda possui os direitos autorais de outras obras brasileiras: “Doramar”, também de Itamar Vieira Junior com previsão de ser publicado no ano que vem no México “Nihonjin”, de Oscar Nakasato, e obras de Jacques Fux. A editora também planeja lançar, em 2002, o romance “Amrik”, de Ana Miranda, e “Sorte”, de Nara Vidal, ambos livros brasileiros.

Sobre a possibilidade de publicar mais obras brasileiras com potencial de exportação, Ricardo explica: “A ideia é continuar crescendo o catálogo, traduzindo escritores brasileiros. Dentro do nosso acervo do Ultramarinos, temos o projeto de mostrar a diversidade de rostos que compõem a complexa identidade do Brasil”.