A ousadia de amar até o fim

Autor: Editora: Segmento: Número de páginas: 120 Sobre a editora: De inspiração cristã, Edições Loyola está aberta a todos os horizontes de pensamento e ramos do saber e tem como maior objetivo o desenvolvimento integral do ser humano. Fundada pelos jesuítas há mais de 60 anos, promove, por meio de suas publicações, os valores cristãos e humanos – combinando fé, cultura e justiça –, a fim de propagar o Bem o mais amplamente possível. Atua como editora de livros e revistas e também como gráfica, que atende às demandas internas e externas. Com qualidade, preço compatível e acessível, distribuição e entrega eficientes e excelência no atendimento, permite que todas as pessoas tenham acesso a seus trabalhos editoriais e gráficos. Suas publicações abrangem diversas áreas: Bíblia, Teologia, Espiritualidade, Filosofia, Bioética (no Brasil, é pioneira nesse campo), Educação, Sociologia, Política, Ecologia, Psicologia, Comunicação, Literatura e História. Alguns desses catálogos despontam entre os melhores do país, segundo seus clientes, leitores e especialistas: excelentes traduções, conteúdos originais e relevantes. A qualidade de seus produtos vai além de seu conteúdo. Por contar com parque gráfico próprio, oferece livros com impressão e acabamento em padrões reconhecidos e desejados. Destacam-se no catálogo de Edições Loyola obras de grande valor cultural, como a Suma Teológica, de Santo Tomás de Aquino (edição bilíngue); a monumental Obra Completa de Padre António Vieira, em 30 volumes; o Dicionário de Filosofia, em quatro volumes, de José Ferrater Mora; e os premiados O Deus dos indo-europeus – Zeus e a protorreligião dos indo-europeus (Prêmio Jabuti 2000) e Deus analisado – os católicos e Freud (Prêmio Jabuti 2015). Contato: ISBN: 9788515046386 “Jesus veio para trazer a vida em abundância para todos. Não uma vida qualquer, mas uma vida plena, de alta qualidade. Os mártires também procuram vida para todos, sem discriminar ninguém, seja qual for a razão. Na experiência do Deus encontrado na profundidade de sua própria intimidade, e na profundidade dos outros, e de toda a criação, eles perceberam Deus e seu plano de ‘vida verdadeira’ para todos. Nos mártires se acendeu uma paixão tão grande pela união com Deus e seu projeto, que toda sua pessoa ficou unificada por dentro para se tornarem criadores de um futuro melhor para todos. Assim como Jesus, os mártires não procuram a morte, nem mesmo que seu sangue seja queimado nos fornos de extermínio, nem derramado no chão ou respingado nos salões de tortura, mas eles buscam a vida em abundância para todos.” (Benjamín González Buelta, SJ)